09/01/2016

Palavras soltas





Quando abro a boca, deixo as palavras respirarem. Às vezes deixo entrar as boas. Quando as mastigo, sinto a essência do veneno escondido. É nessa altura, que elas saem espirradas pelo nariz. Sinto um alívio, porque voltei a respirar a liberdade de novo...


||||||||||

João Eduardo - 09Jan16

Sem comentários:

Enviar um comentário